Google+ Dezembro 2014 | Blog AntiFlamenguista a
Este blog contém derrotas do Flamengo, eliminações e outros assuntos, como zueiras. Isso acontece porque ele é um espaço para antiflamenguistas. Nós não temos nada contra o Flamengo, que é um dos grandes clubes do país. Todo conteúdo mostrado aqui reflete apenas a OPINIÃO de torcedores rivais do Flamengo, que discutem amigavelmente  em qualquer rodinha de amigos.

Flamengo TRI VICE do Campeonato Carioca (82-83-84)



O gol de cabeça de Assis em cima do Flamengo, decretou o bi campeonato do Fluminense e o tri vice do Flamengo no campeonato carioca. Vamos recapitular como foram essas três decisões onde o Flamengo evidentemente tinha VANTAGEM nas três decisões, e por méritos deixou escapar, dando o título aos seus rivais.

Em 1982, Zico ainda era jogador do Flamengo, e mais um encontro épico entre Roberto Dinamite x Zico estava para acontecer como tantos outros que já aconteceram em decisões (nosso blog mostra todos os vices conquistados por Zico). Na decisão de 82, Roberto Dinamite foi o carrasco dos mulambos, e por 1 x 0 o Vasco foi campeão.

Um ano depois (1983), o carrasco mudaria de nome: seria Assis o nome lembrado no chororô flamenguista até os dias atuais. O Flu só tinha chutado uma vez ao gol e a vantagem do empate era do Flamengo. Depois de ser vice para o Vasco no ano anterior, a torcida já comemorava o título mediante fim do jogo. Mas Assis é lembrado até hoje pelo gol espetacular que fez no último minuto da partida, decretando o bi vice do Flamengo na competição. Seria o início do tri carioca do Flu. 

Assis novamente daria as caras no ano seguinte (1984), vencendo o Flamengo com gol de cabeça. Esse resultado foi suficiente para que o Flamengo fosse tri vice do campeonato, e bi vice para o Fluminense. Foi assim que o TRI VICE do Flamengo aconteceu, mas que a Flapress nunca vai te contar!

Fluminense 2 x 1 Flamengo (COM VÍDEO) - Campeonato Carioca 1984



O Fluminense vence o Flamengo em partida válida pela Taça Rio do Campeonato Carioca, realizado no dia 1° de Dezembro de 1984. Abaixo, deixamos a súmula da partida. Infelizmente, só achamos o vídeo com o segundo gol do Fluminense nesta partida, veja abaixo antes que a Flapress tire do ar:


FLUMINENSE 2 X FLAMENGO 1
Local: Maracanã (Rio de Janeiro);
Juiz: José Roberto Wright;
Renda: Cr$ 216 255 000;
Público: 49 003;
Gois: Assis 4 do 1.°; Washington 12 e Élder 25 do 2.°:
Cartão amarelo: Bran­co, Renê, Figueiredo, Jorginho e Mozer;
Expulsão: Washington
FLUMINENSE: Paulo Vítor, Aldo, Duílio, Vica e Branco; Leomir, Renê e Assis (Paulinho); Romerito, Wa­shington e Tato (Renato). Técnico: Raul Carlesso
FLAMENGO: Fillol, Jorginho, Fi­gueiredo, Mozer e Adalberto; Andra­de, Leandro e Élder; Bebeto, Edmar (Nunes) e Gilmar. Técnico: Zagalo

Volta Redonda 1 x 0 Flamengo - Campeonato Carioca 1984



O Flamengo chegou a ser campeão da Taça Guanabara, e motivados por tal feito demonstraram talvez certo desprezo diante do Volta Redonda, na partida seguinte ao campeonato, que inauguraria a Taça Rio naquela edição. Jogando no Raulino de Oliveira, o Flamengo perdeu para o Voltaço por 1 x 0, em partida realizada no dia 30 de Setembro de 1984.

V. REDONDA 1 X FLAMENGO O
Local: Raulino de Oliveira (Volta Re­donda);
Juiz: Valquir Pimentel;
Ren­da: Cr$ 61 310 000;
Público: 12 012:
Gol: Flávio 1 do 2.º; Cartão amarelo: Mozer e Roberto Silva
VOLTA REDONDA: Leite, Roberto Silva, Édson. Luís Cláudio e Leo: Nei, Gilvã e Wilson (Amarildo, inter­valo); Botelho, Flávio (Jorge Lima. 25 do 2.º) e Betinho. Técnico: Jorge Vitorio
FLAMENGO: Fillol, Jorginho, Lean­dro (Figueiredo, intervalo), Mozer e Adalberto; Andrade, Élder e Tita; Bebeto. Nunes (Edmar. 25 do 2.°) e Adílio. Técnico: Zagalo

Vasco 1 x 0 Flamengo - Taça Guanabara 1984



Após a eliminação na Libertadores, o Flamengo voltou a jogar o campeonato carioca, e após dois jogos encarou mais um revés: diante do rival Vasco, que venceu a partida por 1 x 0 (gol de Geovani), em partida válida pela Taça Guanabara, realizada no dia 5 de Agosto de 1984.

05/agosto/84

VASCO 1 X FLAMENGO O
Local: Maracanã (RJ);
Juiz: Wilson Carlos dos Santos;
Renda: Cr$ 121 285 000,00;
Público: 49 404;
Gol: Geovani 33 do 2.°;
Cartão amare­lo: Edevaldo, João Paulo, Mário, Aírton e Fillol
VASCO: Roberto Costa, Edevaldo, Daniel González, Nenê e Aírton; Pi­res,  Geovani e Mário; Mauricinho, Roberto e Marquinho. Técnico: Edu FLAMENGO: Fillol, Jorginho, Lean­dro. Mozer e Adalberto; Andrade, Elder e Tita; Bebeto, Nunes e João Paulo (Edmar, 32 do 2.°). Técnico: Zagalo

Fonte: http://brfut.blogspot.com.br/2010/01/campeonato-carioca-1984-primeiro-turno.html

A eliminação do Flamengo na Libertadores 1984



Pessoal, o Flamengo literalmente nadou para morrer na praia: começou com uma campanha impecável na primeira fase da competição, num grupo que tinha Santos, América de Cali e Junior (times colombianos): dos seis jogos que disputou, o Flamengo conseguiu 5 vitórias e 1 empate. Avançou nas semifinais invicto, e teria o Grêmio (desafeto e rival direto nos últimos anos), e a torcida estava engasgada com os últimos jogos contra o time gaúcho. No primeiro jogo da semifinal, levou uma goleada por 5 x 1, que por ter sido campeão no ano anterior, avançou diretamente para as semifinais.

Seria o fim?! Bem que poderia, mas isso aqui é Flamengo: naquela época as semifinais eram grupos de três times em jogos disputados em dois turnos: aquele que somasse mais pontos, avançaria a final. O Flamengo sabia que era quase impossível avançar: a situação era dramática. Mas o time e a torcida compraram a briga e apoiaram o time com todas suas forças, pois o Flamengo não poderia ser eliminado novamente. E deu resultado: o Flamengo venceu o ULA (time venezuelano do seu grupo nas semifinais) por 3 x 0,  também venceu o próprio Grêmio, por 3 x 1 no Maracanã, que viu também nova vitória sobre o time venezuelano, por 2 x 1. Flamengo e Grêmio ficaram empatados em pontos, cada um com 6, e uma campanha de 3 vitórias e 1 derrota.

Segundo as regras da Conmebol, previa um jogo desempate e campo neutro e não o melhor saldo como forma de desempate. O jogo foi marcado para São Paulo (à 1100km de porto alegre e apenas 430km do Rio) o grêmio tinha vantagem do empate devido ao melhor saldo de gols. Daí, lembraram do Atlético Mineiro. Os gremistas estavam desesperados. Mas a vingança da Libertadores, estava escrita. E depois de um 0x0 no tempo normal, outro 0x0 na prorrogação. 120 minutos pra fazer um golzinho, e nada. E o time tinha Fillol, Leandro, Guto, Mozer, Adalberto, Andrade, Adilio, Tita, Elder, Bebeto(Nunes) e João Paulo. Dizem, um dos melhores... que lástima...

Mais uma vez fica engasgado o grito de BI CAMPEÃO da torcida do Flamengo... Como eu falei antes: ISSO É FLAMENGO!!! Tinham tudo na mão, e não foram capazes de meter um golzinho no Grêmio para chegar a final da Libertadores: mais um fracasso.

Grêmio HUMILHA Flamengo, vencendo por 5 x 1 (COM VÍDEO) - Semifinais Taça Libertadores 1984


JORNAIS DESTACANDO O JOGO NA ÉPOCA...

Imagem: Divulgação

Flamengo estreava a fase semifinal da Taça Libertadores de 1984, num grupo onde teriam Grêmio (campeão do ano anterior) e o ULA (time venezuelano). A torcida rubro negra já estava triste com fracassos nas últimas libertadores (procure em nosso blog os marcadores 1982 e 1983 e veja como foram as últimas eliminações do Flamengo neste torneio até aqui).

Veja o vídeo antes que a Flapress tire do ar.


Flamengo já iniciaria sua jornada nas semifinais com goleada, e não muito tempo depois de ser massacrado pelo Corinthians, goleado por 4 x 1 e eliminado do Brasileirão.

Corinthians goleia Flamengo por 4 x 1 e elimina os mulambos do Brasileirão 1984 (COM VÍDEO)



Flamengo iniciaria a fase mata a mata do campeonato brasileiro, buscando uma vaga na semifinal contra o Corinthians. Sentiram-se confortáveis com o resultado favorável no primeiro jogo (2 x 0 para o Flamengo), e talvez ficaram cheio de marra. Abaixo tem o vídeo da partida, veja antes que a Flapress tire do ar.


Achei interessante um texto que vi de alguém que acompanhou pessoalmente essa decisão, e vou reproduzir aqui abaixo:

Em 29/04/1984, no jogo de ida, jogaram Flamengo x Corinthians no Maracanã. O vencedor desta disputa chegaria à semi-final do Brasileirão de 1984. Neste jogo o Flamengo venceu de 2 x 0, com gols de Élder aos 27 do 1º tempo e de Bebeto aos 8 do 2º tempo. Este jogo teve um público de 98.656 pagantes.

Para o jogo da volta no Morumbi em 06/05/1984, o Corinthians precisaria fazer pelo menos 2 gols de diferença. Mas algo aconteceu no primeiro jogo.

O jornalista Dalmo Pessoa, ex-rádio Gazeta e na época comentarista da rádio Bandeirantes começou a motivar a torcida do Corinthians para ir em peso e lotar o estádio. Falava que o estádio do Maracanã tem teto nas arquibancadas e dava eco e era essa a razão principal do barulho da torcida do Flamengo. Eu não sei o que aconteceu no Maracanã para o Dalmo a toda hora conclamar a torcida alvinegra.

O que sei é que realmente gerou um clima de revanche e até no placar eletrônico do Morumbi, conforme veremos a seguir.

O jogo da volta teve um público pagante de 115.002 pagantes e contagiado pelo jornalista ali também estava e posso contar o que li no placar eletrônico do Morumbi.

Como o Corinthians ganhou o jogo de 4 x 1, gols de Biro Biro aos 32 e Wladimir aos 38 do 1º tempo e Edson aos 7, Ataliba aos 14 e Paulinho contra aos 21 do 2º. tempo, o Corinthians estava classificado para as semi-finais contra o Fluminense de Parreira.

Perto dos 35 minutos do segundo tempo, o placar começou a escrever a música VAMOS A LA PLAYA, ou seja, cantando a vitória antes do tempo.

Nota do Editor: esse VAMOS A LA PLAYA foi uma provocação do Corinthians como resposta a torcida do Flamengo, que se achava que estava já classificado para as semifinais do Brasileirão.

Fonte: http://cacellain.com.br/blog/?p=5894

Com esse resultado (4 x 1 para o Timão), o Flamengo foi eliminado nas quartas de final do campeonato brasileiro 1984.

Náutico 2 x 1 Flamengo - Campeonato Brasileiro 1984



Flamengo e Náutico fizeram partida válida pelo Campeonato Brasileiro, realizado no dia 25 de Abril de 1984, vencida pelo time nordestino por 2 x 1. Infelizmente não conseguimos muita informação sobre esta partida, a não ser um recorte de jornal da época (Fonte: Jornal do Brasil).


Brasil de Pelotas vence Flamengo por 1 x 0 (COM VÍDEO) - Campeonato Brasileiro 1984

VENCEU O MELHOR RUBRO NEGRO...

A torcida estava cheia de marra em 1984: o Flamengo estava invicto e prontamente candidato aos títulos que disputaria, mas tudo isso mudou quando o mesmo Flamengo perdeu a invencibilidade para o Internacional depois de uma goleada por 4 x 0. Mas tudo isso poderia mudar, pois pegariam "mamão-com-açúcar" no jogo seguinte, o Brasil de Pelotas (também chamado de Grêmio Esportivo Brasil).

Abaixo tem o vídeo com os MELHORES MOMENTOS desta partida: assista antes que a Flapress tire do ar:


A seguir, conto com o texto do nosso parceiro Aqipossa:

O Brasil de Pelotas, ou Grêmio Esportivo Brasil, jogou seis vezes com a mulambada da Gávea e em 50% das vezes, não foi derrotada. Um empate em 4x4 começou o histórico de confrontos entre ambos em 1949. Mas foram os jogos mais recentes que trouxeram tristeza aos flamenguistas.

Em 1984, o Brasil de Pelotas venceu o Flamengo.


Em 1984, o Flamengo havia sido derrotado pelo Internacional por 4x0 e perdeu a partida seguinte por 1xo para o Brasil de Pelotas, conforme conta o Última Hora de 22 de Março de 1984, dia seguinte à derrota.


A história do Flamengo é engraçada para caraca...

Fonte: http://aqipossa.blogspot.com.br/2014/09/7-de-setembro-clubes-aniversariantes-e.html

Internacional 4 x 0 Flamengo - Campeonato Brasileiro 1984

ESTAVAM CHEIO DE MARRA POR ESTAREM INVICTOS 
NA TEMPORADA, E POR ISSO O INTER NÃO PERDOOU...


Estavam cheios de marra por estarem invictos no ano, mas tudo acabou quando encontraram-se com o Internacional, que não teve piedade e goleou o Flamengo por 4 x 0, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, realizada no dia 18 de Março de 1984. Abaixo reproduziremos a reportagem que saiu nos Jornal do Brasil no outro dia após o jogo:


Fonte: Jornal do Brasil, 1984.

Seleção dos Amigos de Raul 3 x 2 Flamengo - Amistoso 1983

INGRESSO DO JOGO NA ÉPOCA...


1983 era o ano onde o goleiro do Flamengo Raul se aposentaria do futebol, e como ele era um ídolo da torcida do Flamengo, armaram um jogo de despedida dele. Foi o último jogo da temporada, realizado no Maracanã no dia 20 de Dezembro de 1983.

Infelizmente não obtive informações sobre os jogadores que fizeram parte dos Amigos de Raul. Mais como ambas equipes nunca mais jogaram, a Seleção dos Amigos de Raul é mais uma equipe com a qual o Flamengo nunca ganhou.

Flamengo BI VICE do Campeonato Carioca (1983) (Fluminense Campeão)

ASSIS DECRETOU NO ÚLTIMO MINUTO O BI VICE DO FLAMENGO....


O Flamengo já tinha sido vice do campeonato carioca 1982 para o Vasco, e já comemorava o título de carioca de 83 quando Assis calou a mulambada no último minuto, fazendo o Fluminense ser campeão em cima do Flamengo. Com esse péssimo resultado (revés de 1 x 0 para o Fluminense), o Flamengo amargou mais um vice no campeonato carioca, o BI VICE nesta época.

11 /dezembro/83

FLUMINENSE 1 X FLAMENGO O
Local: Maracanã (Rio de Janeiro); 
Juiz: Arnaldo César Coelho: 
Renda: Cr$ 130 622 700.00: 
Público: 83 713: 
Gol: Assis. 45 do 2.º; 
Cartão amarelo: Aldo. Mozer, Leomir. Washington, Ronaldo e Andrade
Fluminense: Paulo Vítor. Aldo. Duílio, Ricardo e Branco; Jandir. Delei e Assis: Leomir (Ronaldo. 22 do 2.º). Washington e Paulinho. Técnico: Carbone
Flamengo: Raul. Leandro, Figueire¬do. Mozer e Júnior: Andrade. Cléo (Lico. 16 do 2.°) e Titã: Lúcio. Edmar (Cláudio Adão. 26 do 2.º) e Adílio. Técnico: Cláudio Garcia 
OPINIÃO: O Fla foi surpreendido no último segundo de jogo. O Fluminen¬se chutou duas vezes em gol.

Flamengo 0 x 1 Campo Grande - Campeonato Carioca 1983



Campo Grande, o Time da Zona Oeste do Rio, venceu o Flamengo por 1 x 0 em partida válida pelo campeonato carioca.


19/novembro/83

FLAMENGO O X CAMPO GRANDE 1
Local: Maracanã (Rio de Janeiro)
Juiz: José Roberto Wright
Renda: Cr$ 12 736 800,00
Público: 12 974
Gol: Buga 5 do 1.º
Cartão amarelo:
Flamengo: Raul, Leandro, Figueiredo, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Tita; Lúcio (Elder 14 do 2.º), Edmar e Júlio Cesar (Cléo 18 do 2.º). Técnico: Cláudio Garcia
Campo Grande: Zé Carlos, Marinho, Neném, Pirulito e Jacenir; Israel (Wellington 34 do 2.º), Lulinha (Mauricio 28 do 2.º) e Pingo; Carlos Antônio, Buga e Luis Paulo. Técnico: Alcir Portela.

Americano 1 x 0 Flamengo - Campeonato Carioca 1983



Americano novamente bate o Flamengo em partida válida pelo Campeonato carioca, válido pelo segundo turno, onde o time de Campos venceu o Flamengo por 1 x 0.

16/outubro/83

AMERICANO 1 X FLAMENGO O

Local: Godofredo Cruz (Campos)
Juiz: Valquir Pimentel: 
Renda: Cr$ 9 267 000.00; 
Público: 9 267; 
Gols: Maciel 13 do 2.º; 
Cartão amarelo: Adalberto: 
Expulsão: Índio 45 do 2.º
Americano: Zé Carlos. Tonho. Ronaldo, Oliveira e César: Índio, Antônio Carlos (Fazoli) e Zé Roberto; Amarildo. Maciel e Sérgio Pedro (Jair) Técnico: Luís Alberto. 
Flamengo: Abelha. Júnior. Figueire¬do. Mozer e Adalberto; Andrade, Adílio (Cléo) e Tita; Lúcio. Edmar e Cláudio Adão. Técnico: Cláudio Garcia


Vasco 1 x 0 Flamengo - Campeonato Carioca 1983



Vasco venceu o Flamengo por 1 x 0, em partida válida pelo campeonato carioca, realizada no dia 5 de Outubro de 1983.

5/outubro/83

VASCO 1 X FLAMENGO O
Local: Maracanã (Rio de Janeiro)
Juiz: Luis Carlos Félix
Renda: Cr$ 8 128 600,00:
Público. 10 965;
Gol: Daniel González 21 do 1.°;
Cartão ama¬relo: Marinho, Júnior e João Luís
Vasco: Acácio, Galvão (Roberto Tei¬xeira), Daniel González, Nenê e João Luis; Serginho, Dudu e Geovani; Pedrinho, Marcelo (Ernâni) c Paulo Egidio Técnico: Oto Gloria
Flamengo: Raul, Leandro, Figueire¬do, Marinho e Júnior: Andrade, Vítor e Adílio; Robertinho, Elder e Júlio César (Mozer). Técnico: Cláudio Garcia OPINIÃO: A excelente atuação de Acácio garantiu a vitória do Vasco, neste jogo sem importância.

Fonte: http://brfut.blogspot.com.br/2010/01/campeonato-carioca-1983-segundo-turno.html

Bangu HUMILHA Flamengo (COM VÍDEO): Bangu 6 x 2 Flamengo - Campeonato Carioca 1983



Só para lembrar que o Bangu já deu de 6 x 0 no Flamengo, e novamente HUMILHA o time da Gávea no Maracanã. Veja o vídeo primeiro antes que a Flapress tire do ar:


Bangu dá goleada histórica
Fonte: Jornal dos Sports

Bem que o Bangu tentou dar de sete em comemoração ao dia da Independência do Brasil, mas acabou mesmo ficando nos 6 a 2 sobre o Flamengo, ontem à tarde, no Maracanã. Foi uma goleada histórica como histórica foi a atuação de Artur, que marcou quatro gols, um de pênalti, um de cabeça, um de rebote de goleiro e um antológico.

Para quem vem acompanhando o Flamengo, a goleada de ontem não surpreendeu tanto. O Goleiro Raul é que vinha impedindo derrotas e não deixou que o América marcasse mais de três. Ontem, Raul não jogou e, para complicar ainda mais, Abelha, contrariando o seu nome, falhou principalmente pelo alto.

A desarrumação é total, parece faltar motivação a alguns jogadores, outros demonstram precisar de Order Avodart um psicólogo. Além de uns dois convocados para a seleção que não se mostraram dispostos a arriscar uma contusão. O comando, sem força, devido às circunstâncias em que o clube se encontra, tudo indefinido, também não pode exigir o máximo. A confusão é tão grande que a cada jogo, é escalado um camisa 10. Ontem, foi a vez de Júnior.

Mas a goleada de ontem não pode ser creditada apenas a ruindade do Flamengo. O Bangu jogou e vem jogando muito bem, tanto que ganhou do América e do Goytacaz nos jogos anteriores. A tendência é crescer com Marinho Chagas na lateral e a consolidação da filosofia do técnico Moisés. O Time do Bangu está cheio de baixinhos, mas todos muito bons de bola. E um craque chamado Artur.

Ao contrário do time do Flamengo, que ainda não entendeu a necessidade de até morder os adversários, o do Bangu colocou tudo em campo. A técnica, velocidade, disciplina tática e o próprio coração. O seu único erro ontem, foi voltar atrasado para o segundo tempo, em três minutos. A troca de uniformes, devido ao campo enlameado, deve ter sido o motivo. Quando ao Flamengo, nem isso.


Castor não se ilude, vai reforçar o time

A goleada de 6 a 2 sobre o Flamengo não diminuiu o ânimo de Castor de Viagra for sale on the internet Andrade de reforçar a equipe. Após a vitória, o dirigente disse que continua interessado na contratação de dois jogadores - um centroavante e um zagueiro - e que Marinho Chagas, que assina hoje seu contrato, deverá estrear brevemente no Bangu:

- Essa goleada não vai me iludir - disse o dirigente. Ainda quero mais reforços e vou agir rapidamente, a tempo de reforçar o time para o segundo turno. Nomes eu não digo, mas posso garantir que o Bangu terá grandes reforços muito em breve.

A situação de Marinho Chagas já está definida. Ele assina contrato hoje e, se tiver em condições até sábado, poderá até estrear contra o Botafogo. Mas essa é uma coisa pouco provável. O jogador, apesar de se sentir bem, ainda não decidiu se estreará mesmo:

- Vai depender dessa dorzinha, que sinto na região glútea. Se melhorar, eu jogo. Mas se continuar sentindo, vou pedir ao Moisés para dar um tempo e entrar só quando estiver bem. Afinal, depois de um resultado desses, não posso entrar em campo sem condições totais. O Bangu está armando um grande time e vai brigar pelo título.

Quem deverá voltar em breve é o lateral direito Rosemiro, que a cada vem melhorando muito. O lateral disse que na próxima semana pedirá a Moisés para treinar normalmente, já que se sente totalmente recuperado.


Na vibração, o prêmio é dobrado

A goleada de ontem pode ser considerada Histórica. Pelo menos, o vestiário do Bangu tinha o clima de um resultado inesquecível. O ambiente era de muita descontração e Castor de Andrade era um dos mais emocionados, tanto que anunciou um bicho de Cr$ 100 mil, alterando os seus planos, que era de pagar Cr$ 50 mil pela vitória.

Os jogadores se abraçavam e os torcedores lembravam que a última vez que o Bangu conseguiu golear o Flamengo foi em 1970, vencendo de 4 a 0. E, em tom de gozação, o supervisor Carlos Alberto Galvão lembrava, juntamente com Mário, o lance em que o Bangu marcou seu sexto gol, quando ele, Carlos Alberto, comemorando o gol, gritou para Mário mandar o time parar de Sale Tadalis fazer gols. 

Como acontece em todos os jogos, Moisés se trancou na rouparia e só saiu para dar rápida entrevista. Apesar da goleada, o técnico não parecia de todo entusiasmado e só se descontraiu depois que Ademir Vicente, ex-jogador do Botafogo, Corinthians e do próprio Bangu, brincou com o treinador:

- Tá justificando o quê? - disse, ao ver o treinador dando entrevistas para um jornalista. - depois de uma vitória dessas não precisa justificar nada. Aliás, estou muito aborrecido com o senhor. Hoje, o Bangu podia ter dado de 10 a 1 no Flamengo. Uma goleada memorável. Quem foi que mandou o time parar de fazer de gols?

Após as palavras de Ademir Vicente, Moisés riu e fez alguns comentários sobre a partida:

- Ainda estou um pouco atônico, pois apesar dos 6 a 2 o jogo não foi tão fácil assim. Até marcarmos o quarto gol, o jogo estava duro e temi até por uma reação do Flamengo, que é um grande time. Felizmente, dessa vez, nós contamos também com a sorte e conseguimos transformar em gols quase todas as jogadas de perigo que criamos na área do Flamengo.

Para o jogo contra o Botafogo, sábado, Moisés não pretende alterar o time. A apresentação dos jogadores será hoje, à tarde, no Estádio Guilherme da Silveira. Segundo o Dr. Renato Pascoal, Fernandes e Tecão, que saíram contundidos, não deverão ser problemas para sábado. 


O Destaque: Arturzinho, um gol de Buy Deltasone gênio

Aos 28 minutos do segundo tempo, Arturzinho dominou a bola no meio de campo e fingiu que ia dar para Fernando Macaé. Nesse instante, Mozer tentou fazer a linha de impedimento e foi o seu azar. Numa jogada de gênio, num dos gols que podem ser considerados como um dos mais belos já marcados no Estádio Mário Filho, Arturzinho partiu em direção ao gol, driblando, com um único toque, toda a defesa do Flamengo. Abelha saiu no desespero e Arturzinho, com um chute fatal, mandou a bola por cobertura e mesmo antes dela chegar as redes, ele já estava comemorando.

- É um gol raro. Nem mesmo os grandes jogadores estão acostumados a marcá-los. Fiz com a convicção de que poderia marcá-lo e dei sorte. Mas, volto a repetir, foi um lance muito difícil de acontecer.

No vestiário, Arturzinho foi o jogador mais festejado. Até mesmo a oração, que é feita após todas as partidas, independente de qualquer resultado, teve que esperar. Arturzinho, apontado como o pincipal destaque do jogo, demorou a sair de campo, tal o número de entrevistas que teve de Order viagra uk dar às emissoras de rádios.

Depois, no vestiário, ele disse que o dia de ontem, em que assumiu a artilharia do Campeonato Estadual, ao lado de Luisinho do América, com 10 gols, após marcar quatro contra o Flamengo, poderia ter sido muito especial se fosse no domingo. Por isso seria duplamente especial.

- De qualquer maneira é uma data memorável, mas seria muito especial mesmo se fosse domingo, dia em que serei pai. Minha mulher está grávida e vai se internar na Clínica Jabour, onde terá uma cesariana, domingo. Por isso seria duplamente especial.

E um dos artilheiros do campeonato será ainda homenageado pelo Bangu. O supervisor Carlos Alberto Galvão informou no vestiário, logo após a partida, que Castor de Andrade já mandou fazer uma camisa, tamanho muito pequeno, para dar ao filho de Arturzinho. Como só saberá se a criança será menino ou menina após o parto, Castor mandou confeccionar apenas o nome do jogador na camisa, em cima do escudo. Mas mandará bordar o nome da criança, tão logo Arturzinho diga como se chamará.


Atuações:
FLAMENGO:
ABELHA - Um dos maiores responsáveis pela goleada. A favor, apenas uma defesa que evitou o sétimo gol. Péssima estréia no Maracanã. Nota 1
LEANDRO - Foi um dos poucos que lutou os noventa minutos. E só. Nota 4
MARINHO - A fase ruim continua. Pelo menos, não tentou brincar e procurou fazer o melhor. Nota 4
MOZER - Há alguns jogos, vem enfeitando e prejudicando o time. Só foi bem pelo alto. Nota 4
ADEMAR - Fraco no desarme e pior no apoio. Marinho se deu bem. Nota 3
ANDRADE - Complicou demais e não deu o combate necessário. Estaria preocupado com a seleção? Nota 3
VÍTOR - Depois de Leandro, foi quem procurou jogar sério e tentar o máximo. Mas foi só. Nota 4
JÚNIOR - A goleada começou no pênalti desnecessário que fez. É mais um que fracassa com a camisa 10. Só fez o gol e alguns passes com precisão.
ROBERTINHO - O único atacante que fez alguma coisa de útil, além de um dos gols. Está sozinho. Nota 6
BALTAZAR - A rotina habitual: sair de campo. A continuar assim, é melhor o Flamengo até antecipar a sua devolução ao Grêmio. Qual centroavante pode jogar bem neste time? Nota 5 PEU o substituiu aos 17 minutos do final e só deu o passe para o gol de Júnior. Nota 4
ADÍLIO - Esforçado e nada mais. Nota 4

BANGU:
TOINHO - muito pouco exigido. Ainda assim, falhou clamorosamente no segundo gol do Flamengo. Além disso, demorou na reposição de várias bolas, desnecessariamente. Nota 3
GILSON PAULINO - Cobriu bem o setor e ainda deu apoio a Marinho. É tranqüilo e sabe jogar. Nota 8
TECÃO - Deve ter saído no intervalo, por contusão, pois estava bem. Nota 8. JAIR - manteve a segurança da defesa. Nota 8
FERNANDES - Saiu no finalzinho, contundido e jogando muito bem. Nota 8. ÍNDIO não poderia jogar em dois minutos. Sem Nota
TONHO - Impotente para conter Robertinho. O único ponto fraco do Bangu. Por isso mesmo, Marinho foi contratado. Nota 3
MOCOCA - Um primeiro tempo irregular para firmar-se no segundo. Nos minutos finais, foi quarto-zagueiro. Nota 7
MÁRIO - Esta voltando à grande fase do Fluminense, fazendo de Low cost viagra tudo em campo. Só perdeu para Artur. Nota 9
ARTUR - Uma atuação a nível dos maiores craques do futebol brasileiro. Combateu, lançou, comandou, fez quatro gols, um de pênalti, um de cabeça, um de rebote do goleiro e outro antológico. Fez de tudo. Sensacional. Passou também a liderar a artilharia do campeonato. Nota 10 com louvor
MARINHO - foi outro que esteve muito bem, reeditando atuações do América de São José do Rio Preto, quando foi cotado para seleção brasileira. Fez um gol de corner que ele mesmo bateu, cruzou para o sexto, enfim, foi um ponta autêntico. Nota 9
FERNANDO MACAÉ - não dá um minuto de descanso aos beques. E encara qualquer um. Foi assim que meteu um gol e facilitou outros. Nota 8
ADO - Aproveitou vária subidas de Leandro. Numa delas, provocou o sexto gol em chute forte rasteiro. É ponta de muito futuro. Nota 8 

ARBITRAGEM:
há várias rodadas, não se via uma arbitragem perfeita como a de Pedro Carlos Bregalda. Marcou um pênalti de junior, que o Bangu aproveitou, e não se deixou levar na caída do lateral em outro, que seria a favor do Flamengo. Lances típicos em que a maioria dos árbitros decidem em função do placar e circunstâncias. Bregalda esteve muito tranqüilo, inclusive, mesmo quando o placar era de 0 a 0. Com a vantagem de se passar desapercebido, salvo, é claro, quando a torcida do Flamengo gritou pênalti injustificadamente, na manhã de Júnior. João José Loureiro foi outro que esteve muito bem. José Inácio Teixeira falou na marcação de alguns impedimentos.

Os Gols: 
BANGU 1 a 0, Mário entra na área, e cercado por Leandro e Júnior, roda, prensa a bola, cai, se recupera, dá outra virada e é derrubado, desnecessariamente, por Júnior, na lateral da área. Artur bate o pênalti, forte, pelo alto, aos 43 minutos do primeiro tempo.
BANGU 2 a 0, Marinho parte para o ataque, Mozer sai na cobertura, ganha a bola, mas tenta enfeitar. Marinho toma, penetra em velocidade e cruza próximo à área. Abelha perde a dividida com Macaé, que toca para o fundo da rede, aos 11 minutos do segundo tempo.
BANGU 3 a 0, Marinho bate corner da esquerda e parte para área. Abelha sobe e espalma mal a bola. Artur toca para o alto e, na descida da bola, Marinho conclui pelo alto, na pequena área, ângulo superior direito, aos 16 minutos.
Flamengo 1 a 3, Peu domina a bola e lança para Júnior, entre os beques, que falham. Júnior domina, entra livre e toca no canto esquerdo do goleiro, enviesado, aos 26 minutos.
BANGU 4 a 1, Jogada sensacional de Artur, que partiu de trás, em velocidade, surpreendendo toda a defesa do Flamengo, que se preparava para aplicar a tática do impedimento. Artur, da intermediária viu Abelha sair da área para fechar o ângulo, e o encobriu. Um gol antológico, aos 28 minutos.
BANGU 5 a 1, Marinho penetra livre e cruza na medida para a cabeçada de Artur, canto esquerdo de Abelha, que nada pôde fazer. A defesa do Flamengo, mais uma vez, se limitou a observar a conclusão, aos 30 minutos.
Flamengo 2 a 5, Adílio bateu o corner pela direita, Toinho subiu e soltou a bola, em falha clamorosa, Robertinho tocou para o fundo da rede, aos 42 minutos.
BANGU 6 a 2, Ado entra livre e chuta forte, rasteiro, pela esquerda. Abelha solta para Artur completar aos 44 minutos da etapa final.

7/setembro/83

BANGU 6 X FLAMENGO 2
Local: Maracanã (Rio de Janeiro);
Juiz: Pedro Carlos Bregalda;
Renda: Cr$ 4 282 400,00;
Público: 5 009;
Gols: Anu ranho 43 do 1.°; Fernando Macaé 11. Marinho (Ban) 15, Júnior 26. Arturzinho 28 e 30, Robertinho 42 e Arturzinho 44 do 2.°;
Cartão amarelo: Vítor, Mozer e Fernando Macaé
Bangu: Toinho, Gilson Paulino, Tecão (Jair), Fernandes (Índio) e Totonho; Mococa, Arturzinho e Mário; Ma­rinho, Fernando Macaé e Ado. Técnico: Moisés
Flamengo: Abelha, Leandro, Mari­nho, Mozer e Ademar; Andrade, Vítor e Júnior: Robertinho, Baltazar (Peu) e Adílio. Técnico: José Roberto Francalacci
OPINIÃO: Abelha falhou em pelo me­nos três gols, mas o time todo do Flamengo esteve mal. 

América 3 x 1 Flamengo - (COM VÍDEO) Campeonato Carioca 1983



América e Flamengo fizeram um partida válida pelo campeonato carioca, realizada no dia 28 de Agosto de 1983, que culminou com vitória dos diabos vermelhos americanos por 3 x 1. Veja o vídeo abaixo antes que a Flapress tire do ar.


AMÉRICA 3 X FLAMENGO 1
Local: Maracanã (Rio de Janeiro):
Juiz: Luís Carlos Félix;
Renda: Cr$ 8 663 600.00;
Público: 10 370;
Gols: Luisinho II e Moreno 15 do 1.°; Jorginho (contra) 2 e Moreno 36 do 2.°; Car­tão amarelo: Vítor
América: Gasperin, Jorginho, Maxwell, Everaldo e Aírton; Pires. Gil­berto e Moreno: William (Batista). Lui­sinho e Gilson. Técnico: Edu
Flamengo: Raul. Carlos Alberto. Marinho, Mozer e Júnior; Andrade, Ví­tor e Adílio; Robertinho, Ronaldo (Bal­tazar) e Adilson (Ademar). Técnico: Jo­sé Roberto Francalacci
OPINIÃO: Desorganizado, o Flamen­go foi totalmente envolvido pelos con­tra-ataques do América.  

Botafogo 3 x 0 Flamengo (COM VÍDEO) - Campeonato Carioca 1983



Botafogo não tem piedade do Flamengo e goleia o time rubro negro por 3 x 0. Essa partida foi válida pelo primeiro turno do campeonato carioca, realizada no dia 14 de Agosto de 1983. Veja o vídeo abaixo antes que a Flapress tire do ar:


14/agosto/83

FLAMENGO O X BOTAFOGO 3
Local: Maracanã (Rio de Janeiro);
Juiz: José Roberto Wright;
Renda: Cr$ 65 071 400.00;
Público: 71 305;
Gols: Marinho (contra) 36 do 1.°; Ge­raldo 15 e Berg 16 do 2.°;
Cartão ama­relo: Cristiano
Flamengo: Raul, Leandro, Mari­nho, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Gilmar (Carlos Alberto, 16 do 2.°); Élder (Baltazar, intervalo), Robertinho e Lico. Técnico: Carlos Alberto Torres
Botafogo: Paulo Sérgio. Josimar, Abel, Osvaldo (Cristiano, 43 do 1.°) e Marco Antônio; Ademir, Demétrio e Berg (Lupercínio, 19 do 2.°), Geraldo. Nunes e Jérson. Técnico: Leônidas
OPINIÃO: O Fia se fechou no meio-campo, mas acabou sendo surpreen­dido nos contra-ataques.

Fonte: http://brfut.blogspot.com.br/2010/01/campeonato-carioca-1983-primeiro-turno.html

Goytacaz vence Flamengo na estréia do Carioca 1983



Depois do vice no Mundialito de Clubes para o Juventus, o Flamengo volta ao Rio para disputar o campeonato carioca, e tem pela frente o poderoso Goytacaz, em partida válida pelo primeiro turno do campeonato carioca;

GOYTACAZ 2 X FLAMENGO 1
Local: Ari de Oliveira (Campos);
Juiz: José Roberto Wright:
Renda: Cr$ 435 000,00;
Público: 12 435;
Gols: Petróleo 3 e Bebeto 38 do 1.°; Gilmar do 2.º
Goytacaz: Jorge Luís. Ditinho. Gilberto, Cléber e Valtair: Cláudio Ne­ves. Gilmar e Cláudio José; Chiqui­nho, Petróleo (Sídnei) e César. Técni­co: Carbone
Flamengo: Raul, Carlos Alberto. Mozer, Marinho e Ademar; Andrade (Gilmar), Júnior e Bebeto; Robertinho, Ronaldo e Júlio César (Edson). Técnico: Carlos Alberto Torres
OPINIÃO: Falho na defesa, apático, o Fia merecia perder de mais. Raul evitou a goleada.

Flamengo vice do Mundialito de Clubes 1983 (Juventus Campeão)



Além de ser facilmente goleado pela Udinense, o Flamengo aproveitou sua estadia na Itália e participou do torneio italiano Mundialito de Clubes. Teve até uma boa campanha, vencendo alguns times. Porém, na final contra o Juventus, o Flamengo foi derrotado por 2 x 1, em partida realizada no dia 02 de Julho de 1983. Com isso, o Flamengo consegue mais um vice para sua História, e mais um vice internacional por sinal.

Udinese HUMILHA Flamengo - Udinese 4 x 2 Flamengo - Amistoso Internacional 1983



Depois de ser eliminado na primeira fase da Libertadores, e de quebra perder de virada para o Uberlândia, o Flamengo agora viajaria até a Europa principalmente para disputar um amistoso contra o novo time de Zico, recém vendido ao Udinese. Flamengo e Udinense jogaram um amistoso no dia 22 de Junho de 1983: pobre Flamengo...

O Flamengo foi FACILMENTE DOMINADO pelo time italiano, e acabou goleado por 4 x 2. Abaixo, alguns recortes de jornal da época mostrando como foi a resenha do jogo.


Fonte: Jornal do Brasil.

Detalhe: como Flamengo e Udinense nunca mais jogaram, o Udinesse é mais um time com a qual o Flamengo nunca soube o que é vencer...

Uberlândia (de VIRADA) vence o Flamengo: Uberlândia 2 x 1 Flamengo - Amistoso 1983



Depois de ser eliminado na primeira fase da Libertadores, perdendo pro Grêmio em pleno Maracanã, o Flamengo jogava sua primeira partida sem Zico, vendido para o Udinese. O Flamengo ainda abre o placar, mas toma impressionante virada do Uberlândia, e perde o amistoso por 2 x 1. Abaixo, recorte do jornal da época falando sobre o jogo:


Grêmio vai até o Maraca cumprir tabela com o eliminado Flamengo - Flamengo 1 x 3 Grêmio - Libertadores 1983

GRÊMIO SÓ FOI CUMPRIR TABELA....
NOVAMENTE O FLAMENGO JOGA SUA ULTIMA
 PARTIDA DA LIBERTADORES NO MARACANÃ
Foto: Divulgação


Grêmio se vingou do título roubado do Flamengo de 1982. No ano seguinte visitou novamente o Maracanã, desta vez com um público bem baixo, desmotivado por ver seu time ser ELIMINADO DE NOVO na primeira fase. Ainda em 1982 (na última participação do Flamengo em questão), o time foi diretamente classificado para as semifinais, eliminado na primeira fase novamente

Grêmio foi até o Maracanã só para cumprir tabela com o eliminado de 1982...

ASSISTIR VÍDEO COM OS LANCES DO JOGO: https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=NhgGxC93l8Q

ASSISTIR VÍDEO COM O JOGO COMPLETO (NA ÍNTEGRA): https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=RcHjB8e4tOY

Imagens da Partida (Foto: Divulgação)






*Domingo, 05 de junho de 1983
Fechando com chave de ouro
Foi com uma grande vitória sobre o Flamengo, no Maracanã, que o Grêmio terminou sua participação na primeira fase da Copa Libertadores de 1983. Já classificado por antecipação para a fase semifinal, o Tricolor chegou ao Rio de Janeiro apenas para cumprir tabela. Um jogo domingo à tarde, algo incomum em matéria de Libertadores. O adversário, completamente desmotivado, ainda não contava com as presenças de Zico, Júnior, Leandro e Mozer. E a torcida, sempre fator importante de desequilíbrio no maior estádio do mundo, não compareceu. Pouco mais de 6 mil pagantes, boa parte formada por gremistas. O interesse da imprensa era apenas voltado para o meia Tita, já que o Flamengo acertava a venda de Zico para o Udinese e o retorno de Tita à Gávea era dado como certo após o término do contrato com o Grêmio, dia 21 de dezembro. O técnico Valdir Espinosa decidiu manter Paulo Roberto e Baidek no setor defensivo. No gol, Beto seguiu como titular enquanto, fora de campo, o presidente Fábio Koff estruturava a inscrição do goleiro Mazaropi para a fase final da competição: concessão feita pela Conmebol apenas em caso de lesão. Remi estava mesmo descartado. Não demorou muito para o Grêmio abrir o marcador e fazer prevalecer sua superioridade: aos oito minutos, Tita recebeu na entrada da área e mandou por cobertura fazendo um golaço! O Grêmio tratou a partida com seriedade e, antes dos 30 minutos, o placar do Maracanã já apontava a vitória gremista por 3 a 0: Caio marcou o segundo aos 15 e Osvaldo ampliou aos 26. Uma verdadeira aula de futebol nos primeiros 45 minutos. O Flamengo retornou para a etapa final com duas modificações e com o objetivo de evitar uma goleada histórica. Já o Grêmio, por sua vez, diminuiu o ritmo e tratou de administrar a ampla vantagem. Tarciso entrou no lugar de Renato e criou duas boas chances pela direita. O Grêmio só não aumentou porque Cesar perdeu dois gols feitos. O Flamengo ainda descontou com Elder e a partida terminou no 3 a 1. Festa da torcida gremista no Maracanã e vaia dos poucos flamenguistas. Agora todas as atenções estavam voltadas para a cidade de Lima, no Peru, onde a Confederação Sul-Americana iria sortear os dois grupos semifinais que dariam seqüência à competição.

Fonte: http://www.gremio.net/news/view.aspx?news_type_id=4&id=4235&language=0

Flamengo 1 x 3 Grêmio

FLAMENGO: Raul, Cocada, Figueiredo, Marinho, Ademar,Vitor(Andrade), Elder, Adilio, Robertinho, Baltazar(Felipe) e Júlio Cesar.Técnico: Carlos Alberto Torres

GREMIO: Beto; Paulo Roberto, Baidek, De León e Casemiro; China, Osvaldo e Tita; Renato (Tarciso), Caio e Tonho (Robson).Técnico: Valdir Espinosa
Reseravas: Remi, Newmar, Robson, Tarciso e Cesar.

Fase de grupos - 6ª rodada - 3 de junho de 1983
Local: Maracanã, RJ
ARBITRAGEM: José Assis Aragão, Romualdo Arpi Filho e Emidio Marques Mesquita
PÚBLICO:6.415 pagantes
RENDA :CR$ 4.141.200,00Gols: Tita (08 do 1ºT) Caio ( 15 do 1ºT) Osvaldo (26 do 1ºT) Elder (FLA - 25 do 2ºT)


Fonte: http://libertadores1983.blogspot.com.br/2007/01/1-fase-flamengo-1-x-3-grmio.html

Atlético PR 2 x 0 Flamengo - Campeonato Brasileiro 1983

WASHIGTON (QUE MAIS TARDE SERIA CARRASCO DO FLA PELO FLUMINENSE), COMEMORANDO UM DOS GOLS DA VITÓRIA DO FURACÃO...


Um dos jogos mais emblemáticos da história do clube foi o Atlético 2×0 Flamengo jogado no Couto Pereira. Aquele jogo ficou marcado por diversos motivos e por isso será sempre lembrado. Pode-se enumerar os motivos pelos quais aquela tarde de maio de 1983 jamais será esquecida:
  • O recorde absoluto do estádio Couto Pereira. Foram 65.491 pagantes e 67.391 pessoas no total.
  • Tinha tanta gente que havia torcedores pendurados até na torre de iluminação do estádio.
  • A vibração da torcida atleticana.
  • O gol que Capitão perdeu e que ficou faltando para que o Atlético classificasse à final do campeonato.
Veja o JOGO COMPLETO NA ÍNTEGRA antes que a Flapress tire do ar...


Pedi aos participantes do 13º encontro do Círculo de História Atleticana que estiveram presentes nessa partida histórica que relatassem como foi aquele dia. Dentre as declarações dadas, separei o relato do sr. Paulo Ubirajara P. Silva, como se pode ler a seguir:

"Era uma coisa fantástica, nós não estávamos jogando contra um time qualquer, nós estávamos jogando contra um time que foi Campeão do Mundo (1981). E foi até hoje um dos maiores times que eu vi jogar. 

Foi uma partida magnífica, o Zico não fez nada, o Junior não fez nada, eles não conseguiram fazer nada. Por mais esforço que eles fizessem, e eles tinham um time que jogava por música, mas o nosso time jogou uma partida soberba. Teve um detalhe, foi uma das grandes partidas do Raul, ele ficou consagrado naquele dia porque pegou aquela bola do Capitão.

Eu assisti ao jogo em pé, na posição de sentido, porque não dava pra se mexer, de tão cheio que estava o estádio. Não era na Baixada, mas foi um Caldeirão. Aquele tanto de gente e o time jogando, eu saí sem voz do estádio. Foi um jogaço de bola, foi o melhor jogo que eu vi até hoje.”

Foi memorável o relato do sr. Paulo. Se este jogo foi assim, imagino que se o Atlético tivesse passado para a final faltaria Couto Pereira pra tanta gente.

Ficha técnica do jogo
Atlético 2 x 0 Flamengo
Data: 15/05/83
Local: Couto Pereira
Competição: Campeonato Brasileiro
Juiz: José de Assis Aragão
Renda: Cr$ 51.707.900
Público total: 67.391 torcedores
Público pagante: 65.491
Gols: Washington (2)
Atlético: Roberto, Sotter, Flávio, Jair, Sérgio, Detti, Nivaldo, Assis, Capitão, Washington e Abel. (Téc. Hélio Alves)
Flamengo: Raul, Leandro, Marinho, Mozer, Júnior, Vitor, Adilio, Zico, Elder, Baltazar(Robertinho) e Júlio Cesar(Figueiredo). (Tec. Carlos Alberto Torres)

Corinthians 4 x 1 Flamengo (COM VÍDEO) - Campeonato Brasileiro 1983



Corinthians e Flamengo jogaram no Morumbi, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, realizada no dia 1° de Maio de 1983, com goleada corintiana por 4 x 1. Veja o vídeo abaixo antes que a Flapress tire do ar.


Bolivar 3 x 1 Flamengo - Libertadores 1983

O Flamengo (após dois empates nas primeiras duas rodadas) precisava vencer o time boliviano a todo custo para buscar classificação para a próxima fase da Libertadores. Ele caiu no grupo 5, com Grêmio, Bolivar e Club Booming. O Flamengo precisava a todo custo vencer o Bolivar na altitude. O Jornal do Brasil colocou uma manchete na época que traduzia bem o clima que a equipe rubronegra na véspera do jogo:



Flamengo e Bolivar jogaram na Altitude de La Paz, no dia 8 de Abril de 1983. A derrota por 3 x 1 deixou o Flamengo em situação DRAMÁTICA na primeira fase da Libertadores. Com a derrota confirmada, foi noticiado na mídia no dia seguinte (abaixo reprodução JB)



O desfecho seria (obviamente) OUTRA eliminação prematura do Fla na Libertadores.

Palmeiras (de virada) bate o Flamengo no Morumbi: Palmeiras 3 x 1 Flamengo (COM VÍDEO) - Campeonato Brasileiro 1983



Em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, realizado no Morumi (mesmo local onde dias antes o Flamengo perdeu de 3 x 2 par o Santos) a equipe carioca teria outro revéz diante de um paulista. Desta vez até pensaram que iam se dar bem ao abrir o placar com Adílio, mas não suportaram a força palmeirense, que virou a partida e venceu por 3 x 1.. Esse jogo foi realizado no dia 17 de Março de 1983. Vejam o vídeo abaixo antes que a Flapress tire do ar.




Santos 3 x 2 Flamengo (COM VÍDEO) - Campeonato Brasileiro 1983



Santos vence o Flamengo em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, realizada no dia 27 de Fevereiro de 1983, culminando com vitória santista por 3 x 2. Abaixo tem o vídeo com os lances do jogo, veja antes que a Flapress tire do ar.




Data: 27/02/1983
Competição: Taça de Ouro - 1ª fase
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 111.111
Renda: Cr$ 66.415.600,00
Árbitro: Aírton Domingos Bernardoni
Gols: Serginho Chulapa (17-1), Robertinho (28-1); Serginho II (12-2), Serginho Chulapa (20-2, de pênalti) e Edson (42-2).


SANTOS
Marola; Toninho Oliveira, Joãozinho, Márcio Rossini (Toninho Carlos), Gilberto; Paulo Isidoro, Pita e Toninho Silva; Camargo (Serginho II), Serginho Chulapa e João Paulo.
Técnico: Chico Formiga

FLAMENGO
Raul; Cocada (Ademar), Leandro, Marinho e Júnior; Andrade, Lico, Zico e Élder (Edson); Baltazar e Robertinho.
Técnico: Paulo César Carpeggiani

Santos vence revanche no Morumbi, pois, ainda em formação, havia perdido por 2x0 no Maracanã no primeiro turno e de quebra toma da equipe carioca a liderança do Grupo A com 12 pontos.

Graças ao Fluminense, o Flamengo pulou a segunda divisão do carioca



Sim, meus senhores. O Fluminense (quem diria) após ter seus jogadores moralmente expulsos por problemas disciplinares, formando o time de futebol do Flamengo, ainda fez questão de interceder junto a organização para que o Flamengo entrasse na série A do carioca diretamente, pulando todas as divisões de acesso possíveis. Engraçado mulambo querendo zuar tricolor "pague a série B", se eles mesmos pularam a série B do carioca com ajuda do Fluminense. Flamengo, essa é a sua História!

A tática suja da torcida do Flamengo para se tornar "O Mais Querido"...

TAÇA SALUTARIS...


Amigos, corria o ano de 1927, e o futebol já era uma coqueluche no Rio de Janeiro. Os estádios sempre lotavam para ver os jogadores correndo atrás da bola. Os matches decisivos levavam multidões ao Estádio das Laranjeiras. Os fãs do esporte bretão se dividiam principalmente entre os cinco maiores clubes da época: América, Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco. O Jornal do Brasil e a marca de água mineral Salutaris resolveram, então, organizar um concurso para descobrir qual clube era o mais popular da capital federal.

O torcedor deveria escrever o nome do seu time favorito no rótulo da garrafa d'água, ou no cupom impresso no jornal. O clube vencedor levaria para sua sede a imensa e prateada Taça Salutaris. A bela obra ficou exposta na vitrine da joalheria La Royale, na Avenida Central, até o dia da contagem dos votos.

Duas torcidas se engajaram especialmente na disputa: as de Vasco e Flamengo, clubes que, mesmo somados, possuíam menos títulos que o Fluminense. A mobilização dos fãs foi imensa: nunca se bebeu tanta água mineral nesta cidade. E, como o Vasco estava na frente em todas as apurações, os rubro-negros resolveram apelar para os últimos recursos.

Na manhã do dia final, cada um que chegasse ao Café Rio Branco, tradicional reduto de sócios e torcedores do Flamengo, recebia um escudo do Vasco para pôr na lapela, "quando chegasse o momento".

Faltando poucas horas para a apuração, na sede do JB, as portas do jornal já estavam todas ocupadas. Em cada entrada havia um flamenguista travestido de vascaíno. Com "sotaque aportuguesado", perguntavam a cada um que chegasse: "é para o Vasco?". Se fosse para o Vasco, de forma escondida destinavam os rótulos para as privadas. Dizem que todas as privadas do edifício ficaram entupidas. Então, até o poço do elevador passou a servir de urna para os rótulos escritos com "Vasco".

Ao fim do dia, veio o anúncio: vitória do Flamengo. A Taça Salutaris, então, foi carregada em triunfo pelos sorridentes e malandros rubro-negros, até a sede do Flamengo. Foi um grande desfile de comemoração, como se o clube tivesse conquistado o próprio Campeonato Carioca. Reza a lenda que, na semana seguinte, o presidente do Vasco recebeu uma encomenda especial. Nela, estavam os escudos do Vasco utilizados nas lapelas, e alguns rótulos de Salutaris escritos com "Vasco".

Desde então e para sempre, o Flamengo é "o Mais Querido". A Taça Salutaris é, até hoje, exibida com destaque na sala de troféus do rubro-negro, ao lado da Taça Libertadores e da Copa Toyota. É motivo de grande orgulho para todo flamenguista.


Fonte: http://jornalheiros.blogspot.com.br/2011/01/como-o-flamengo-se-tornou-o-mais.html

Vasco de Dinamite campeão em cima do Flamengo de Zico (DE NOVO) (COM VÍDEO) - Vasco Campeão Carioca 1982 (Flamengo Vice)



Depois de perder para o Vasco (que aproveitou o luto da eliminação rubro negra na Libertadores), Vasco e Flamengo fizeram jogo final pelo Triangular que decidiria o campeão do Carioca. Abaixo, reproduzo o texto do Sempre Vasco falando sobre esta partida.

Mas antes veja o vídeo sobre a partida, antes que a Flapress tire do ar...


Não é à toa que terminou o campeonato com 34 pontos ganhos, bem à frente dos adversários. E foi graças a essa excelente campanha que entrou no supercampeonato ao lado de Flamengo e América, vencedores, respectivamente, do 1º e 2º turnos.

Amado Vasco este que não nos faz cantar. É que uns, tensão de tantos anos, choram, outros gritam. Todos comemoram: é o fim do penta-vice-campeonato. É campeão mesmo: 1 x 0 no Flamengo.

E aquele homem dos olhos que riem não diz palavra: ele canta, requebra - e homem também requebra. Todos querem ouvi-lo - ou pelo menos queriam. Ele está em transe, pois afinal tem o que poucos possuem: coragem. Jogou sua carreira, seu prestígio, dignidade numa só cartada: na véspera do supercampeonato, para surpresa geral, resolveu trocar cinco jogadores titulares do time eternamente vice-campeão.

Tirou o zagueiro Nei, o lateral-direito Rosemiro, o apoiador-revelação Geovani, o ponta-esquerda Marquinho e, acreditem, o famosíssimo goleiro Mazarópi. Louco, imprudente, irresponsável! - adjetivos não faltaram. Pior quando anunciou - este homem que tem olhos que riem e não diz palavra - que entrariam o inexpressivo ponta-esquerda Jérson, o lateral entra-e-sai Galvão, o então irregular zagueiro Ivan (autor do gol contra o América), o arisco apoiador Ernâni e, suprema ousadia, o eterno goleiro reserva Acácio.

Vasco campeão! Deixem o homem cantar. Deixem o técnico Antônio Lopes, este carioca durão, cantar em paz: foi muita tensão, muita responsabilidade, muito sangue-frio.

Sangue-frio de, no intervalo deste Flamengo x Vasco, com 113 mil pagantes no Maracanã, tirar o ídolo Dudu do time apenas por questões táticas. Outra cartada arriscada - no lugar de Dudu entrou o ex-titular Marquinho.

Três minutos do segundo tempo: o centroavante Roberto, sublime nas arrancadas, passa ao apoiador Ernâni, livre na área. O chute sai forte, o goleiro Raul manda a escanteio. Sublime Raul.

Lá vem bola...

O relógio do Maracanã marca 3 minutos do segundo tempo e Pedrinho corre em direção à bola. Na cabeça do técnico Lopes - ele revelaria mais tarde - havia pavor: seu time no ataque e Zico sozinho, pronto para o contra-ataque. "Meu Deus, marquem o Zico", suplicou. Como num filme, pos sua cabeça passaram os três vice-campeonatos de que participou: os da Taça Guanabara de 1981 e 1982 e do campeonato de 1982.

Pedrinho Gaúcho cobra. O lateral do Flamengo, Leandro, apenas olha e Marquinho, com 1,60 m de altura, raspa de leve com a cabeça na bola. Gol do Vasco! Gol do campeão, equivocadamente creditado na súmula, por José Roberto Wright, em favor de Pedrinho.

Dia 5 de dezembro de 1982, o Vasco até então há cinco anos sem título. Cinco: cachorro no jogo do bicho; 1982: ano do cachorro no horóscopo chinês. Entre outras coisas quer dizer nascimento de filho: Vasco na cabeça. E também maldição: azar do Flamengo.


FASE FINAL - 3.º JOGO

5/dezembro/82

VASCO 1 X FLAMENGO O
Local: Maracanã (Rio de Janeiro);
Juiz: José    Roberto    Wright;
Renda:  Cr$ 83 219 900,00;
Público:  113 271;
Gol: Marquinho 3 do 2.º:
Cartão amarelo: An­drade, Tita e Dudu;
Expulsão: Júnior
Vasco: Acácio. Galvão, Celso. Ivã e Pedrinho; Serginho, Ernâni e Dudu (Marquinho); Pedrinho Gaúcho (Rosemiro), Roberto e Jérson. Técnico: Antônio Lopes
Flamengo: Raul. Leandro. Figueiredo. Marinho e Júnior; Andrade. Adílio (Vítor) e Zico; Tita. Nunes e Lico (Wilsi­nho). Técnico: Paulo César Carpegiani


Nota do Editor: o Vasco foi campeão num Maraca com mais de 110.000 pessoas. O Flamengo acabou sendo vice do Campeonato Carioca, e seria o início de ciclo de vices do time rubro negro que duraria até 1985.

Flamengo 1 x 3 Vasco - Campeonato Carioca 1982



Depois de ser eliminado pelo Peñarol em um Maracanã com mais de 90.000 flamenguistas, o Vasco aproveitou o chororô da Librtdores e fez a festa em cima dos mulambos!

20/novembro/82

FLAMENGO 1 X VASCO 3
Local: Maracanã (Rio de Janeiro);
Juiz: Luís     Carlos     Félix;  
Renda: Cr$ 5 783 900,00;
Público: 12 877;
Gols: Ernâni 8, Paulo César 24, Ronaldo 30 e Serginho 36 do 2.º
Vasco: Acácio, Galvão, Ivã I, Celso e Gilberto: Serginho, Ivã II e Marquinho; João Carlos (Luisinho), Palhinha (Paulo César) e Jérson. Técnico: Antônio Lopes
Flamengo: Raul, Antunes, Leandro, Ademar e Júnior; Vítor, Adilio e Zico; Wilsinho, Peu (Zezé) e Ronaldo. Técni­co: Paulo César Carpegiani
OPINIÃO: Foi um jogo frio e lento. Vi­tória merecida do Vasco, o menos ruim.

Fonte: http://brfut.blogspot.com.br/2010/02/campeonato-carioca-1982-segundo-turno.html

A criação da Fla-Gay

A Fla-Gay é um fato, e já foi noticiada aqui no blog. Pois bem, iremos reproduzir um texto de um outro blog (citando fonte abaixo) que explica melhor de como surgiu esse termo "Fla-Gay", transformando-se numa torcida oficial.

Fim dos anos 70, maior clássico do futebol carioca. O Rio se agita. Mais um Fla-Flu. O que ninguém esperava era um ingrediente extra no caldeirão. O carnavalesco Clóvis Bornay convoca rubro-negros homossexuais, lança a nova torcida Fla-Gay e escandaliza o Maracanã.

Torcedor notório do Botafogo, Bornay diz que teve a melhor das intenções, mas o tiro saiu pela culatra: "A galera vaiava. Todos gritavam: Sai daí, seu botafoguense viado. Vai sacanear o Botafogo."

O episódio rendeu até marchinha (foto), mas a torcida não durou muito.


Foi reativada em 2003 pelo ativista gay Raimundo Pereira.

Ainda que duas décadas depois, o retorno causou nova polêmica. A Associação das Torcidas Organizadas do Flamengo foi contra. Em carta aberta, alertou que a presença dos "vascaínos travestidos de Fla-Gay" era desaconselhável, que não se responsabilizaria pela reação dos "verdadeiros torcedores".

"Queiram ou não esses falsos machões, nós somos flamenguistas verdadeiros", bate o pé Raimundo. "E vamos para os estádios mostrar que não temos vergonha; que os gays estão em todos os lugares".

Fonte: http://hajamuuitosaco.blogspot.com/2014/02/curiosidades-rubro-negras-27.html

Seguidores